Delegação de Oliveira de São Mateus

Uso dos emblemas
Tanto as Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, bem como o Comité Internacional da Cruz Vermelha e a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho estão autorizados pelas Convenções de Genebra a utilizar os emblemas.

É conveniente distinguir, em regra geral, os seus dois tipos de utilização, aplicáveis tanto em tempo de paz, como de guerra:

Uso protector

Destina-se a proteger as pessoas, instalações e materiais dos serviços sanitários das Forças Armadas e aqueles das Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho que prestam ou são chamadas a prestar o seu apoio aos serviços sanitários das Forças Armadas. Este protege também as vítimas civis e os militares prisioneiros, feridos ou doentes. Nesta situação, e para que seja bem visível pelos combatentes, o emblema deve ser de grande dimensão e não comporta nenhuma inscrição.

Uso indicativo

Serve para indicar que uma pessoa, instalação, material ou equipamento está ligado a um organismo do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho. Nestes casos, o emblema utilizado deve ser de pequena dimensão e incluir a indicação do nome ou das iniciais do respectivo organismo da Cruz Vermelha ou Crescente Vermelho.

A importância da distinção entre o uso protector e indicativo do emblema não pode ser subestimada. É da responsabilidade de todas as componentes do Movimento proteger e respeitar o emblema e impedir a sua má utilização.


Para reportar alguma situação de uso indevido do nome ou emblema da Cruz Vermelha, queira contactar o Gabinete de Comunicação na Sede Nacional da Cruz Vermelha Portuguesa.